ROTEIRO DE 3 DIAS EM BOGOTÁ: QUANDO IR E O QUE FAZER

Na rota de conexão para destinos que viraram queridinhos de muitos viajantes, como Cartagena e San Andrés, Bogotá (Colômbia) merece uma atenção especial e no mínimo dois dias para que se possa absorver toda sua diversidade cultural e gastronômica.

Claro que o preço em conta da passagem e a oportunidade de fazer um stopover foram alguns dos fatores que pesaram para escolhermos a maior cidade da Colômbia. Para se ter ideia, as nossas passagens custaram R$ 1.500,00 cada (Rio – San Andrés, com escala em Bogotá).

Quando ir?

Como Bogotá está localizada 2.640 metros acima do mar, a temperatura é sempre amena e gira em torno de 15 graus. Logo, o clima é ideal para caminhar a pé pela cidade e aproveitar tudo que ela tem a oferecer.

E para não correr risco de pegar diversos dias chuvosos, o ideal é que você agende sua viagem entre os meses de dezembro a fevereiro e de junho a setembro. Mas, relaxe! Eventualmente você pegará uma garoazinha (lembra da altitude?), porém nada que atrapalhe o passeio. Nós, por exemplo, fomos em agosto e pegamos só uma bem rápida na manhã do segundo dia. Depois saiu um sol que fez até a gente tirar os casacos. 😉

Quanto custa ir para Bogotá?

Como comentamos, Bogotá foi o nosso destino final da nossa viagem à Colômbia. Mas, seguem abaixo os nossos gastos detalhados dos dois dias e meio que ficamos na cidade para que vocês possam ver que a região tem ótimo custo benefício.

Passagens: R$ 3.000,00 (valor de dois bilhetes)

Hospedagem: R$ 355,00 (para 3 diárias)

Alimentação: Cerca de R$ 320,00 (café, lanches e jantar)

Transporte: R$ 250,00 (Obs: Isso porque utilizamos o Uber algumas vezes, além do TransMilenio que é o transporte público mais comum da cidade. Ainda dá para economizar mais se andar só de ônibus).

Passeios: R$ 357,00

Total: R$ 4.282,00 

Como se deslocar?

A melhor forma para andar por Bogotá, além de a pé para sentir o dia a dia dos locais, é de Transmilenio, transporte similar ao nosso BRT, que possui diversas linhas que ligam a cidade de norte ao sul. O preço do bilhete atualmente é de cerca de 2.300 pesos, dependendo do destino.

Ainda há a opção do táxi, mas é preciso negociar o preço com o motorista, pois eles não ligam o taxímetro e sai mais caro que o ônibus. Ah! E também tem a opção do UBER, mas é preciso ficar atento, pois o sistema lá não é totalmente legalizado e a rivalidade com os taxistas é alta.

Roteiro passo-a-passo

1º DIA: CHEGADA A BOGOTÁ

Desembarcamos no aeroporto internacional El Dourado por volta de meio dia e até passar pela imigração e pegar as bagagens levamos ainda mais ou menos uma hora e meia. Depois de finalmente conseguirmos pegar o transfer até o nosso apartamento (alugamos pelo booking com um precinho nota 10! Em breve, faremos um review dele aqui! 😉 ).

Como ainda tivemos que ainda trocar dinheiro, comprar umas comidinhas para o café e a janta, só sobrou o final da tarde para darmos uma volta pela cidade e conhecermos o Museo del Oro que é considerado um dos maiores museus do ouro do mundo e contém peças da era pré-colombiana. Preço por pessoa: 4 mil pesos.

Fachada do Museo do Oro
O museu conta com peças de diversas épocas e também com uma apresentação audiovisual

2º DIA: VISITA À CATEDRAL DE SAL

O dia seguinte acordamos cedo e partimos para Zipaquirá que fica a 50km ao norte de Bogotá. O objetivo? Conhecer a famosa Catedral de Sal construída dentro de uma mina de sal. No tour pelo monumento vimos também as 14 estações da Via Crucis da Paixão de Cristo e também participamos da missa que acontece aos domingos. Preço por pessoa: 55.000 pesos (ingresso + audioguia em português).

Como Zipaquirá fica distante de Bogotá e o tour pela Catedral é “enorme”, reserve um dia inteiro para a visita.

A nave central da Catedral de Sal é um espetáculo
Por todo caminho até a Catedral há estações da Paixão de Cristo representadas por cruzes de sal das mais diferentes formas e tamanhos

A noite fomos jantar no famoso restaurante Andrés Carne de Res que tem uma decoração para lá de louca com referências de Tim Burton a Disney e é dividido em quatro ambientes: inferno, terra, purgatório e céu. E a comida? É deliciosa! No cardápio tem pratos de diversas culinárias e também típicas colombianas.

Nós chegamos cedo e não ficamos na fila de espera. Caso você vá mais tarde, o ideal é fazer reserva, pois o restaurante costuma ficar bem cheio!

Andres Carne de Res (1)
Decoração para lá de louca
Andres Carne de Res (6)
Só comida deliciosa
Andres Carne de Res (8)
Culinária para todos os gostos

 

3º DIA: ANDAR PELA CIDADE E VISITAR OS PRINCIPAIS PONTOS TURÍSTICOS

No nosso último em Bogotá decidimos dar uma volta pelos principais pontos turísticos da cidade, começando pela Plaza Bolívar que é um ponto estratégico para depois fazer todos os outros monumentos e museus a pé, já que ficam um pertinho do outro.

Plaza Bolívar

Depois de desviarmos de muitos pombos (sério, tem mais pombo lá do que gente!) e dos ambulantes, conseguimos admirar a arquitetura da Catedral Primada que é a maior de Bogotá. Uma pena que não conseguimos ver por dentro, pois estava fechada. Quando você for visitá-la seja mais esperto que a gente e dá uma olhada no site (www.catedraldebogota.org) e confere os horários e dias em que ela estará aberta.

Catedral de Bogotá

Além da Catedral Primada, na Plaza Bolívar encontramos também o Capitolio Nacional e o Palácio da Justicia. É possível visitar o Capitolio mediante agendamento, mas como ainda tínhamos bastante coisa para ver, decidimos continuar o nosso roteiro até um dos comércios mais antigos de Bogotá.

De lá descemos a rua rumo ao restaurante La Puerta Falsa que existe desde 1816. Sim! Há mais de 200 anos servindo deliciosos pratos típicos, lanches e docinhos de dar água na boca. Nós optamos para provar o famoso Chocolate Completo que é a combinação perfeita de uma xícara gigante de chocolate, pão com manteiga e queijo. Vale muuuuuito a pena enfrentar a muvuca de turistas que se amontoam na pequena lojinha para provar esse ou um dos pratos típicos.

LA PUERTA FALSA
Há mais de 200 anos vendendo delícias
LA PUERTA FALA
O famoso chocolate completo: o café da manhã dos colombianos

Depois de nos empanturrarmos, passamos rapidamente no Centro Cultural Gabriel Garcia Márquez que tem entrada gratuita e é palco para exposições e eventos. De lá andamos mais um minutinho e fomos para a Casa de Moneda que possui um museu histórico que exibe desde as moedas pré-colombianas até os pesos atuais e como são confeccionados. Preço: grátis

CAS DE LA MONEDA_04
Entrada da Casa de Moneda
CASA DE MONEDA
Interior do Museu

Após visitarmos todas as alas do museu, encontramos uma passagem interna com um lindo jardim que dava para o famoso Museo Botero que incluí diversos quadros e esculturas do renomado artista colombiano Fernando Botero. No museu encontramos ainda obras de outros artistas, como Monet, Picasso e Renoir. Preço: grátis

Museo Botero
Museo Botero com suas obras gordinhas e maravilhosas

Para terminar o dia de “bateção de perna” pegamos o Transmilenio até a base do Cerro Monserrate para ver a cidade do alto. Do alto dos seus 3.152 metros de altura está a Basílica do Senhor de Monserrate que tem visitação gratuita. O visual de lá de cima é incrível e é possível subir o Cerro de teleférico ou funicular. Preço do teleférico por pessoa: 20 mil pesos

Visual do Cerro Monserrate
A Basílica do Senhor de Monserrate é simples, mas charmosinha

No dia seguinte partimos para San Andrés e suas praias paradisíacas, mas essa é uma história para outro dia. 😉

 

Anúncios

14 comentários em “ROTEIRO DE 3 DIAS EM BOGOTÁ: QUANDO IR E O QUE FAZER

  1. Adorei o seu roteiro por Bogotá!! O chocolate quente com queijo é meio estranho para o meu gosto rsrs O Museu Botero foi o programa que mais curti por lá. Achei muito agradável além de obras lindas.

    Curtir

  2. Ai que saudade que me deu de Bogotá. Do roteiro de vocês só não fomos à catedral de Sal mas os demais lugares fomos a todos. O La Puerta Falsa tem o doce de leite mais gostoso que já comi na vida! Adorei rever a cidade…

    Curtir

  3. Olá conterrâneos! Vocês ainda não visitaram o Peru aqui na América do Sul? Estava procurando algum post sobre o Peru, para eu lembrar quando fui lá em 2015, mas de qualquer jeito vou ficar atento ao blog para saber das novidades. Quando vocês forem lá, recomendo pegarem o Mirabus, um ônibus para andar por Lima, e o ônibus Peru Hop, para andar pelo Peru. Com ele pude conhecer Huacachina, fazer sandboard, voar sobre as Linhas de Nazca, conhecer Puno e ir em Machu Picchu. Em Miraflores, recomendo se hospedarem no Pool Paradise Lima, o único hostel que tem piscina, ótimo no verão lá e por outras cidades no Wild Rover, tem em Huacachina, Arequipa e em Cusco. Sucesso nas próximas viagens!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s