6 dias em San Andrés: quando ir, o que fazer, onde comer

Mar de 7 cores ou seria de 50? Só sabemos que foi o mar mais lindo que já vimos na vida. E a imensidão azul já mostrar o ar da sua graça assim que o avião vai pousando no aeroporto internacional Gustavo Rojas Pinilla.

SOBRE SAN ANDRÉS

Localizado no mar do Caribe, o arquipélago de San Andrés e Providência se tornou um dos destinos mais procurados pelos brasileiros devido aos seus preços acessíveis bem diferente de Punta Cana e Aruba. Enfim, como já diz o ditado: o Caribe que você pode pagar. Sem falar no clima, na maioria com poucas chuvas e quente, e a receptividade do povo colombiano.

San Andrés é a maior ilha do arquipélago, que conta ainda com Providencia e Santa Catalina, com 27 km² e tem a forma de um cavalo-marinho. Possui temperatura entre 26º e 29º e fica pertinho da Nicarágua.

Colonizada pelos ingleses e por sua localização estratégica, a ilha foi abrigo de piratas, sendo o mais famoso Henry Morgan.

MAPA SAN ANDRES

QUANDO IR

Primeiro não fique preocupado se você só pode visitar a ilha em um determinado período, pois as altas temperaturas podem ser apresentadas o ano inteiro. De qualquer forma, os meses são divididos em duas fases:

Temporada de Chuva: a primeira vai de abril e junho, e a segunda de setembro a novembro.

Temporada de Seca: entre novembro a março e outra de julho a agosto.

Nós, por exemplo, fomos em agosto. Logo, na temporada seca. Mas, mesmo assim pegamos algumas pancadas de chuva, mas nada que atrapalhasse a viagem e os passeios, pois a chuva durava no máximo meia hora e depois abria aquele solzão maravilhoso. 😉

Já em relação aos furacões caribenhos que acontecem de 1º de junho a 30 de novembro, a ilha está fora da rota. Ela pode ser afetada indiretamente com chuvas e interdições das praias. Mas, isso é bem raro de acontecer. De qualquer maneira, tente agendar sua viagem fora desse período para que possa ficar de cabeça mais tranquila.

COMO IR

É possível chegar a San Andrés através de 3 companhias aéreas que são: Avianca, via conexão em Bogotá, LAN, com conexão em Lima e Copa, essa com conexão no Panamá.

O nosso voo, por exemplo, foi pela Avianca com conexão em Bogotá. Como decidimos fazer um stopoover de 3 dias em Bogotá não tivemos que nos preocupar com o embarque para San Andrés.

Veja aqui nosso roteiro completo de 3 dias em Bogotá.

Mas, se o seu voo só tiver uma conexão curta por Bogotá, recomendamos que sejam ágeis, pois as filas da imigração podem demorar e ninguém aqui quer perder o voo, né? 😉

Em relação aos preços, há muitas promoções. Nós pagamos nas 02 passagens cerca de R$ 3 mil.

DOCUMENTOS IMPORTANTES

Para ir para San Andrés é bem tranquilo e brasileiros não precisam de visto. Além disso, não é preciso ter passaporte para visitar a ilha. É possível embarcar só com o RG.

Outro documento super importante para entrar em San Andrés é o Certificado Internacional de Vacinação com o devido comprovante de vacinação da febre amarela. Sem ele não é possível embarcar! Fique atento!

CARTEIRA INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO

Além disso, para embarcar para San Andrés é preciso também pagar a tarjeta de turismo, ou seja, uma taxa ambiental que custa cerca de 105 mil pesos por pessoa. A tarjeta é paga em um guichê específico da sua companhia aérea.

TARJETA DE TURISMO

Tem que guardar o comprovante da taxa paga até o final da sua viagem, pois ela será exigida no momento da sua chegada e saída em San Andrés e também caso você vá à San Andrés.

ONDE SE HOSPEDAR

San Andrés realmente é um lugar para todos os bolsos que vão desde resorts all inclusive até hostels e Airbnb.

Nós recomendamos ficar próximo ao bairro North End que fica no centro da cidade e onde estão localizadas a maior parte do comércio bem como de onde partem os barcos para os passeios. Enfim, é possível fazer tudo a pé, economizando assim com o deslocamento. 😉

Durante a nossa viagem ficamos em 2 hotéis diferentes: o El Vecino, um pouco mais afastado da praia principal SprattBight e simples, mas super agradável. E no Calypso Beach. Esse ficava na orla de frente para a praia e possuía um pouco mais de luxo, mas o banheiro com cortina de plástico se manteve.rsrsrs

COMO SE DESLOCAR PELA ILHA

Para andar por San Andrés é possível pegar o ônibus. Há algumas linhas, poucas por sinal, que dão a volta à ilha. Apesar de baratos (custam cerca de 2 mil pesos colombianos), eles demoram para passar, não possuem ar-condicionado e a conservação dos carros é bem precária.

O mais comum é alugar uma espécie de carrinho de golfe. Ele é confortável e cabem até quatro pessoas. A desvantagem é que ele anda muito devagar, pois atinge no máximo 20km/h.

As melhores opções são alugar um MULE (uma espécie de carrinho de golfo mais robusto) que possui um motor mais potente que atinge até 60km/h. A desvantagem é o preço da diária que custa a partir de 150.000 COP.

Nós preferimos a quarta opção: aluguel de moto. Um dos motivos foi o preço do aluguel ser um pouco mais barato do que os “carrinhos”, cerca de 70.000 COP, por ser bem mais rápida do que eles e por ser fácil de estacioná-la em qualquer lugar!

ATENÇÃO: Só alugue a moto se você já tiver a carteira e prática, pois o trânsito na ilha é bagunçado e há poucos sinais.

MOTO E MULITAS
Nossa motinha e os famosos carrinhos de golfe ao fundo

ROTEIRO DIA A DIA

1º DIA

Nós desembarcamos em San Andrés por volta de meio dia. Até passarmos na imigração e pegarmos na mala já era por volta de 13h (o aeroporto é minúsculo e as filas são inevitáveis).

Fomos direto para o nosso hotel deixar as bagagens e tomarmos um banho, pois o sol já estava da moléstia.rsrsrs

Como a cidade para entre 12h e 14h por causa da sesta, principalmente o comércio. Aproveitamos para dar uma volta no centro e beber umas cervejinhas e cubas libres. Depois curtimos o restante do dia na praia de Sprat Bight ou Peatonal. Apesar de ser mais movimentada, a praia com mar azul-turquesa, água transparente e quentinha é um ótimo lugar para dar o start na trip em San Andrés.

CENTRO DE SAN ANDRES DE DIA
Centro de San Andrés
PRAIA PEATONAL
A surreal praia de Sprat Bight

2º Dia

No dia seguinte acordamos cedo e fomos para o píer pegar o nosso barco para fazer um passeio duplo: El Acuario + Johnny Cay. Como o passeio dura o dia inteiro, primeiro fomos para El Acuario, um dos lugares mais LINDOS que já visitamos. O nome da ilha já diz tudo! Realmente parece um aquário com piscinas naturais de águas tranquilas e mar de um azul surreal extremamente transparente e com milhares de peixinhos.

DCIM102GOPROG2185345.JPG

El Acuario e seu mar azul de “doer os olhos”

DCIM101GOPROG1783952.JPG
Mar ou piscina? A visibilidade do El Acuario é surreal

Passamos a manhã fazendo o melhor snorkeling de todos os tempos e aproveitamos também para caminhar até Haneys Cay, uma ilhota charmosinha com coqueiros e um mar que também não fica atrás no quesito beleza.

HANEYS CAY
Haneys Cay também não fica atrás!! Olha a cor desse mar!!!!

Perto da hora do almoço foi a hora de pegarmos o nosso barquinho de novo. Agora para Johnny Cay, uma ilhazinha de coral no melhor estilo Lagoa Azul e que fica pertinho da cidade de San Andrés (1,5km). O mar? Também é super azul, mas um pouco mais intenso. O melhor é que a ilha possui além da pequena praia, uma área verde repleta de coqueiros e sombras que convidam para aquela soneca gostosa. O local conta ainda com boa infraestrutura com restaurantes, bares e banheiros.

Dica: se puder, dê a volta a ilha. Com certeza você se encantará com a paisagem e fugirá da muvuca da praia principal

Preço do passeio:20.000 COP por pessoa (Obs: Conseguimos esse valor porque fechamos mais de um passeio com a Oasis Tour)

Taxa para entrar em Johnny Cay: 5.000 COP por pessoa (Obs: todos os turistas têm que pagar uma taxa extra de preservação antes de chegar à ilha)

JOHNNY CAY
Johnny Cay: linda e em fomato de coração. Precisa de mais? 😉

3º Dia

No terceiro dia aproveitamos o solzão e fizemos o passeio de parasail que é uma espécie de paraquedas puxado por uma lancha e foi simplesmenteS-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L!!!! Achamos super seguro e assim que subimos milhares de metros em cima daquele marzão de sete cores, o medinho e o frio na barriga foram embora. O passeio dura cerca de 20 minutos e o preço é um pouco salgado para a média de San Andrés, mas é indispensável!

Preço do passeio: 150.000 COP por pessoa (Obs: também fechamos com a Oasis Tour)

DCIM102GOPROG1944221.JPG
Voo tranquilo e com visual incrível
DCIM102GOPROG1974277.JPG
O famoso mar de 7 cores

De lá, ainda meio em choque com tanta beleza, alugamos uma moto para fazer a volta à ilha. Nossa primeira parada foi na Praia de Rock Cay que possui uma ilhota de mesmo nome a poucos metros da costa. Nela está um navio encalhado. Conseguimos acessar a praia através de um restaurante.

A praia é bem movimentava, mas com águas também calminhas, quentinhas e, claro, super transparentes. Para quem quer desbravar o local, é possível ir caminhando até a ilha de Rocky Cay com água da cintura para cima. O ideal é fazer essa travessia com papetes, pois o fundo de cascalho pode ser um desafio.

ROCK CAY
O barco naufragado dá um charme a mais a ilha de Rocky Cay

A nossa parada foi em La Piscinita, um local ótimo para mergulho. De longe parece um piscinão, mas está bem longe disso. Com água de um azul intenso e transparente, foi ótimo fazer snorkeling por lá e ver (sério) diversos peixes. No local ainda há um restaurante e banheiros. Nós fomos a tarde e está super tranquilo. Mergulhamos horas por lá! 😉

Preço da entrada: 4.000 COP por pessoa

DCIM102GOPROGOPR4650.JPG
La Piscinita é ótima para fazer snorkeling
Cardume é o que não falta nesse paraíso

Depois de nos encantarmos com os peixinhos, pegamos a nossa moto e cinco minutos depois estávamos em West View. Esse é outro ponto que não pode faltar no seu roteiro.

West View é uma espécie de “parque de diversões”, já que possui um tobogã, trampolim e restaurante com comidas típicas. E adivinha? Passamos horas nos divertindo com os mergulhos e “tombos” do tobogã e trampolim.

No local há ainda um passeio chamado Aquanautas, no qual você usa um escafandro – uma espécie de “capacete de astronauta” – e anda pelo fundo do mar. O preço é um pouco salgado (100.000 COP por pessoa).

Como esse foi um passeio que não chamou muito a nossa atenção, resolvemos curtir as outras atrações.

Preço da entrada West View: 5.000 COP por pessoa

DCIM102GOPROG2184710.JPG
Nos divertimos igual crianças em West View

4º Dia

Como tínhamos dias de sobra para curtir San Andrés e suas maravilhas com calma e amamos muito o El Acuario, resolvemos ficar um dia inteirinho na ilhota. E foi a melhor coisa que fizemos! Afinal, conseguimos aproveitar algumas partes da ilha quase de forma exclusiva, já que a maioria dos turistas tinham hora para chegar e ir embora devido aos passeios em conjunto com outros lugares.

Preço: 20.000 COP por pessoa

DCIM102GOPROG2305585.JPG
Praia praticamente “exclusiva” em El Acuario

5º Dia

No 5º dia partimos para Providência, uma ilha menorzinha que fica próxima de San Andrés, mas depois de uma semana voltamos e fizemos o passeio de snorkeling pela barreira de corais com o Caribe Extremo.

E sério! Foi M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. Vimos durante 1h30min uma vida marinha abundante com corais, peixes de todos os tamanhos, algas, estrela do mar e até tubarão!!!

A visibilidade do mar de San Andrés é absurda e dá a impressão que você caiu dentro de um aquário. Outro passeio imperdível para fazer! 😉

SNORKELING NA BARREIRA DE CORAIS

6º Dia

O nosso último da em San Andrés foi dedicado às piñas coladas e as compras, já que lá há inúmeros Dutty Free e os preços são mais em conta. Mas, é preciso comparar preços e pechinchar sempre para não levar “gato por lebre”. Em relação à perfumes, achamos que no Dutty do aeroporto os preços estavam bem mais em conta. 😉

CENTRO DE SAN ANDRÉS A NOITE
As lojas Dutty Free do centro de San Andrés
Anúncios

5 comentários Adicione o seu

  1. Ruthia Portelinha disse:

    É impressionante o azul que se consegue captar no Caribe. Fico sempre deslumbrada. San Andres é um destino pouco divulgado aqui na Europa, mas pelo seu post e fotografias, vale bem a visita

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que fotos lindas! Sou louca para conhecer San Andres e as dicas com certeza vão ajudar muito no planejamento da viagem =) Parab;ens pelo post!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Fui “mesmo” até lá, viajando com este texto e fotos. A cor da água é incrível! E aquela foto dos peixes a olhar para ti é demais! Ehehehe! Boas viagens!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Lulu Freitas disse:

    Adorei o seu post, super prático e objetivo e com todas as informações necessárias par visitar a ilha. Pelo que entendi não é comum alugar um carro convencional por lá, só esses carrinhos tipo de golfe. Você sabe se tem algum motivo em especial?

    Curtir

    1. Geralmente os carros convencionais tem aluguel beeeemmmmm mais caro!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s